“Dor” no cabelo: sim, ela existe mesmo!

Conheça o que causa o fenômeno e como evitá-lo com as dicas de uma médica tricologista

02/05/2019 | Monique Abrantes

Conheça o que causa o fenômeno e aprenda a evitá-lo com as dicas de uma médica tricologista

A dor no cabelo não é exatamente na haste capilar, antes que você se pergunte. Porém, o fio está diretamente relacionado à sensação de desconforto que a sua cliente reclama no couro cabeludo.

Talvez pior do que isso é a queda intensa que pode resultar dela. “Quando usamos penteados que tracionam a raiz dos cabelos o resultado é uma inflamação ao redor dos pelos que, se for crônica, pode resultar em casos de alopecia definitiva. O mesmo ocorre com o uso de apliques muito apertados”, explica a médica dermatologista e tricologista Kédima Nassif.

A especialista conta que o que causa a conhecida dor no cabelo é a inflamação da pele perifolicular, ou seja, a região em volta de cada folículo.

Outras causas da dor no cabelo

Além da tração do fio de cabelo, Kédima aponta outros causadores do problema. “Temos quadros de ansiedade generalizada ou distúrbios psiquiátricos e o aumento da substância P, produzida no Sistema Nervoso Central e relacionada aos mecanismos de dor. ”

A médica lembra também que a rosácea em couro cabeludo tem sido questionada como uma das responsáveis pelo quadro. “Outros estados inflamatórios do couro cabeludo também estão relacionados, como a psoríase e dermatites. Diante de uma queixa tão complexa, a avaliação com especialista é fundamental”, orienta a tricologista.

Estados inflamatórios do couro cabeludo, como a dermatite seborreica, podem agravar ainda mais o problema e o excesso de oleosidade deve ser combatido.

Como evitar a dor no cabelo

A mais simples das sugestões é evitar o uso de penteados muito presos e constantes por longos períodos, que, além de causar a dor, também podem danificar a estrutura dos fios com a tração promovida por eles. “Aconselho também evitar o uso de apliques por mais que três meses consecutivos e sempre realizar o procedimento com mechas finas e manutenção frequente.”

Além disso, o controle de processos inflamatórios e do excesso de oleosidade é fundamental. “De forma geral, pessoas de cabelo oleoso devem lavar os fios todos os dias ou em dia alternados. Já quem tem cabelos secos ou grossos deve realizar a higienização a cada dois ou três dias. No entanto, se o cabelo estiver sujo por suor, no caso dos praticantes de atividade física diária, ele deve ser lavado, ainda que com um xampu suave”, recomenda.